Rause Café Na Estrada foi um projeto que realizamos com o Rause Café. Uma viagem por Minas Gerais, e pelo mundo mágico dos cafés especiais.

Você não vai acreditar no que tem no café que você bebe!

Juro! Você vai ficar de cara!

Mas vamos começar pelo começo.

Aprendemos muita coisa em um projeto que fizemos que se chama Rause Café Na Estrada, e uma delas foi que tem muita coisa que você nem imagina no café que você ingere no dia-a-dia.

Mas antes de falar sobre isso, quero compartilhar com você sobre toda nossa experiência.

Vem comigo nessa viagem por Minas Gerais.rause cafe na estrada

Rause Café na Estrada

Tudo começou quando o Juca Esmanhoto, sócio proprietário da cafeteria Rause Café, em Curitiba, veio até o IHC para que conhecêssemos seu mais recente projeto: Rause Café Na Estrada, onde sua ideia era passar por várias fazendas produtoras de café especial em Minas Gerais. E graças a um processo de crowdfunding e a um patrocinador, ele se tornou viável.

Então embarcamos nesse projeto, onde nossa missão era: produzir um documentário, fotografias, e um livro.

A viagem

Saímos de Curitiba no começo de setembro e partimos rumo a Minas Gerais de carro, eu, o Luccas, a Mari, o Juca, e mais tarde o Microchip iria nos encontrar. Rodamos muitos mil km para chegar lá, debaixo de chuva e sol. Mas sempre chegávamos bem, e contentes em conhecer um novo lugar.

Levamos na bagagem nossas malas com roupas contadas para não ocupar espaço, equipamento de filmagem e fotografia, laptops para editar fotos e decupar imagens ao passo que fomos avançando nos dias, um carrinho gigante pra servir café para as pessoas nas praças da cidade, uma máquina italiana super top de fazer espresso, e muitos sacos de café torrado.cafe espresso

As cidades

Patrocínio, Carmo de Minas, Alto do Caparaó, Belo Horizonte, Uberlândia, Patos de Minas ,Santo Antônio do Amparo, Paraisópolis, Araxá, Ibirací. Foram 10 cidades, 10 fazendas, e uns milhares de cafés tomados e servidos.

Cada cidade com sua beleza e sua peculiaridade ganhou nosso coração. Algumas fazendas eram gigantescas, outras menores, mas todas tinham um encanto e uma característica em comum: o amor com que cultivam o café.

rause cafe na estrada

As pessoas

Os mineiros são extremamente receptíveis e fazem você se sentir em casa a todo momento. E essa foi com certeza a melhor parte da viagem. As pessoas incríveis que conhecemos e os amigos que fizemos. Alguns inclusive já vieram nos visitar em Curitiba e se hospedaram em nossa casa.

Os produtores de café, baristas, famílias, todos nos trataram e nos receberam muito bem, felizes em dar as entrevistas e compartilhar suas vidas e suas histórias, o que facilitou demais nosso trabalho.

E lógico, meus companheiros de estrada, que merecem um parágrafo só deles. Primeiro o Juca, nosso cliente, sem ele, nós ainda estaríamos bebendo o mesmo café ruim de sempre, e não teríamos tido essa experiência maravilhosa em MG.

E o quarteto fantástico do IHC, companheiros de todas as aventuras, meu marido lindo e talentoso, o Luccas Soares, a designer mais top das galáxias, a Mariana Marcondes, e o filmmaker, técnico de áudio e mil outras funções, o Victor Chico (Microchip). Ter uma equipe em sintonia faz toda a diferença.

No final, as conexões humanas que fazemos é o que vamos guardar com carinho. Por isso temos que estar sempre abertos às novas experiências.

 

equipe rause cafe na estrada

O resultado

O resultado foi um documentário de média metragem de 30 minutos que conta a história do café especial e também do café de commodity. A diferença de ambos desde o plantio da semente, até o momento em que chega na sua xícara. O motivo da diferença de valores, e como um café especial, apesar do nome blasé não é, e não deve ser um café reservado para as altas classes da população.

Infelizmente ele ainda não é acessível à todas as pessoas (pelo valor mais alto), mas quem sabe chegará um dia em que toda essa situação vai mudar no nosso país, que tem tanta coisa boa, só falta igualdade. Mas esse é um tema para outro post.

Voltando ao trabalho. O filme foi lançado alguns meses depois e fez um tremendo sucesso entre os amantes do café, e também entre pessoas leigas como eu, que não sabiam lhufas de café, mas depois desse filme puderam sacar bem mais do que se trata esse mundo.

O trabalho também resultou em centenas de fotos que geraram um livro de fotografias, que conta um pouco da história de cada fazenda, e de cada café.

cafe

O café

Chegou na parte que você abriu esse texto para ler. O café que você toma todos os dias não é o que você pensa. Mas para que você possa realmente entender, de uma vez por todas, o que é um café de qualidade e o que é o café que vemos por aí, eu te convido a assistir o documentário amor que produzimos que leva o nome de Café em Leves Devaneios.

Essa meia horinha vai passar voando, e depois disso, talvez você concorde comigo, e nunca mais beba café da mesma maneira. E eu sinceramente, pelo seu bem, espero que sim.

rause cafe na estrada

Comentários do Facebook
Author

Rhaissa é fotógrafa, publicitária, filmmaker e curiosa por qualquer forma de arte. Ama viajar, conhecer pessoas e culturas.